O Programa Nacional de Imunizações (PNI) incluiu as pessoas com deficiência no grupo prioritário referente a vacinação contra a Covid-19. De acordo com as orientações do Ministério da Saúde, serão considerados como público prioritário “indivíduos com deficiência permanente” aqueles que apresentem uma ou mais das seguintes limitações: limitação motora que cause grande dificuldade ou incapacidade para andar ou subir escadas, indivíduos com grande dificuldade ou incapacidade de ouvir mesmo com uso de aparelho auditivo, indivíduos com grande dificuldade ou incapacidade de enxergar mesmo com uso de óculos e indivíduos com alguma deficiência intelectual permanente que limite as suas atividades habituais”.

É muito importante um esclarecimento, porque somos vários grupos de pais, e as perguntas referente a vacinação não cessam.

Rinalva Maria Bertagna da Silva, vice-presidente da Associação Amigos Especiais de Limeira, AAEL, mãe de pessoa com deficiência, existem muitos grupos prioritários, “sempre estão incluindo mais um. Têm-se usado a seleção de dar prioridade a quem tem maior risco de morte. Pela região vacinaram todos os profissionais relacionados a saúde pública e privada, estão vacinando os idosos. Eu tenho muito medo porque eu fiquei sabendo de muitas crianças que acabaram falecendo porque não tinha tomado a vacina, inclusive com Síndrome de Down. A minha filha Giovanna está em casa, em isolamento social, há um ano. Todos que participam das atividades da AAEL também estão em casa, sem sair. Nós, pais, temos muito medo, pois, a grande maioria deles nascem com algum problema congênito por causa desse cromossomo a mais; então, a grande maioria tem comorbidades”, disse Rinalva.

Atividades

A Associação dá suporte para as famílias com crianças com Síndrome de Down, ajudando, além do desenvolvimento dos filhos, as família a aceitarem e interagirem com outras famílias que tem filhos com a mesma síndrome. A AAEL atendeu até o início da pandemia, 40 crianças e adolescentes, os atendimentos de todas as atividades foram suspensas desde o início da pandemia porque todos não podem correr riscos. Dia 21 de março, quando é comemorado o ‘Dia Internacional da Síndrome de Down’, o Grupo de Trabalho fez um vídeo, estimulados pelos ingleses, com os passos de dança das crianças e adolescentes, cada um na sua casa. “Um vídeo de comemoração para não passar em branco esse dia (novamente) durante a pandemia”, ela contou — o vídeo pode ser assistido nesse link: https://youtu.be/TvzK-KAUNmk 

“Minha família convive com um caso; filha de amigos, 25 anos de idade, foi infectada pela Covid-19, com Síndrome de Down; infelizmente ela teve até parada cardíaca. Ela era uma pessoa que trabalhava, estava num momento de realização e o pai tirou do serviço. Vai ficar dentro de casa enquanto não tomar a vacina”, revelou Rinalva.

Resposta da Prefeitura

Contatamos a Secretaria de Comunicação Social questionando dúvidas referente a vacinação contra a Covid-19 publicado dia 15 de fevereiro pelo Ministério da Saúde – a quarta edição do Programa Nacional de Imunizações (PNI), no documento passou a constar como prioritário pessoas com deficiência permanente, quanto ao público na ordem de vacinação contra a Covid-19.

A resposta da prefeitura de Limeira citou a terceira atualização de 31 de janeiro de 2021, que complementa o Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra o Covid-19 e a segunda edição de 25 de janeiro de 2020. 

Leia a resposta na integra: "A vacinação em Limeira seguiu critérios de 
imunização primária aos profissionais de saúde considerados “linha de
frente”, baseados na proteção da força de trabalho para o atendimento de
pacientes contaminados ou suspeitos de Covid-19, conforme o Documento
Técnico da Campanha de Vacinação contra o Covid-19, 3ª atualização de 
31 de janeiro de 2021, que complementa o Plano Nacional de
Operacionalização da Vacina contra o Covid-19, 2ª edição de 25 de
janeiro de 2020. Não obstante, e concomitantemente, está avançando na
vacinação de idosos pelo maior potencial desse grupo para 
morbimortalidade, ou seja, está cumprindo o regramento dos referidos
documentos, iniciando a imunização nos grupos de maior risco de
desenvolvimento de formas graves e óbitos pela doença, considerando
ainda o cenário epidemiológico local, estadual e nacional.
Nesse sentido, a Municipalidade, seguindo as normas federais e estaduais 
sobre a imunização, além do princípio da equidade do SUS, na chamada 
Fase 1, está vacinando os grupos prioritários com a seguinte estratégia
de imunização:
1A - Profissionais de Saúde de linha de frente, que tenham contato direto 
com pacientes suspeitos ou confirmados de Covid-19;
1B - Idosos abrigados em asilos e seus cuidadores;
1C- Demais Profissionais de Saúde pela seguinte ordem:
1º Profissionais de Saúde em atividade regular com Cadastro Nacional de 
Estabelecimentos de Saúde (CNES) ativo e que tenham 60 anos ou mais; -
2º Profissionais de Saúde em atividade regular com Cadastro Nacional de
Estabelecimentos de Saúde (CNES) ativo e que tenham 50 anos ou mais; -
3º Profissionais de Saúde em atividade regular com Cadastro Nacional de
Estabelecimentos de Saúde (CNES) ativo e que tenham 45 anos ou mais;
1D- Idosos segundo critério de maior idade pela seguinte ordem: 1º 
Idosos de 90 anos ou mais - 2º Idosos de 85 anos ou mais e idosos acima
de 80 anos acamados - 3º Idosos de 80 anos ou mais e idosos acima de 70
anos acamados - 4º Idosos de 78 anos ou mais e idosos acima de 70 anos
acamados - 5º Idosos de 77 anos ou mais e idosos acima de 70 anos
acamados - 6º Idosos de 75 anos ou mais e idosos acima de 70 anos
acamados - 7º Idosos de 74 anos ou mais e idosos acima de 70 anos
acamados”, acaba a nota enviada pela Prefeitura.

Pouco esclarecimento

“Existe pesquisa comprovando que esse cromossomo a mais (da Síndrome de Down) faz com que eles envelheçam mais rapidamente. Esta infecção pode prejudicar as pessoas com Síndrome de Down. Diante desses dados, as associações estão mobilizadas para que estejam no grupo prioritário e que seja vacinado o quanto antes. Eu fico ouvindo o rádio, a televisão pra saber o dia do início da vacinação. Eu acho que não está claro essa informação, é muito importante um esclarecimento, porque somos vários grupos de pais, e as perguntas referente a vacinação não cessam. O nível de preocupação é muito alto. Outras associações de Limeira estão mobilizadas, principalmente pelo fato de não haver mais leitos na UTI. Queremos esclarecimentos por parte da Prefeitura Municipal”, apontou Rinalva. 

AAEL Associação Amigos Especiais de Limeira – Objetivo; uma associação que pretende criar e desenvolver a conscientização da sociedade sobre as pessoas com Síndrome de Down. AAEL no Facebook: @amigosespeciaisdelimeira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *