Jornal Pires Rural – Edição 242 | LIMEIRA, Junho de 2020 | Ano XV

Como ficar afastado dos palcos tendo conquistado milhares de fãs? Deve ser a pergunta que os artistas estão se fazendo nesse cenário de pandemia. O repertório e sucessos de Milionário & José Rico é um legado que seus filhos estão dando continuidade, a dupla Marcos Paulo (filho do Milionário) e Marcelo (afilhado musical do José Rico) formada em 2006, segue a trajetória pelos dias de hoje. Com quatro CDs lançados e um DVD eles tem sido presença constante nas festas e eventos da música sertaneja. Conversamos com Marcelo a respeito do momento atual da dupla e, qual forma encontraram para contornar a interrupção de shows com plateia presente. Leia a entrevista a seguir;

 Marcos Paulo e Marcelo
Os filhos de Milionário & José Rico, Marcos Paulo e Marcelo

Jornal Pires Rural: Marcelo, sua dupla com Marcos Paulo é desde 2008 mas, sua experiência na música vem bem antes disso? Poderia contar um pouco sobre ela?

Marcelo: Tenho uma bagagem bem longa na música. Vem de influências de meu tio e de meu irmão, desde os 11 anos de idade. No ano de 2006, eu formei a dupla com o Marcos, mas tinha feito outros trabalhos. Já tenho uma experiência de mercado, de música e do que é cultura musical.

Jornal Pires Rural: Certamente ao dar continuidade ao repertório musical e performático de Milionário & José Rico, já os consagra a ser presença obrigatória em eventos de música sertaneja, desde o início da dupla esse trabalho tem crescido a uma média de quantas apresentações anuais ?

Marcelo: Graças a Deus, a gente vem trabalhando bastante, fazendo bastante feiras e exposições agropecuárias, festa de peão, aniversário de cidades, além de casas noturnas. Desde quando começamos em 2006, é de três anos pra cá que a gente começou a despontar um pouco mais. Recordo que em 2017 fizemos 60 shows, em 2018 chegamos a 80 shows e no ano passado, 2019, fechamos o ano com 108 shows. Em 2020, no mês de março estávamos com 56 shows vendidos mas aí, veio a pandemia e brecou. A gente espera que em 2021, acabando isso (pandemia), já possamos entrar com mesmo número (de shows).

 Marcos Paulo e Marcelo
Marcos Paulo e Marcelo, live na Boate do Zuuum

Jornal Pires Rural: Quando e onde foi a última apresentação com público presente?

Marcelo: O último show da dupla com público, foi em março, uma festa do peão em Laranjal Paulista (SP). Uma festa muito bacana, era uma quinta-feira (05/03), foi nosso último show. Tínhamos shows no sábado e domingo (07 e 08/03) que foram cancelados.

Jornal Pires Rural: O quão foi prejudicado o número de shows da dupla, nesse ano? Como isso impacta no trabalho de vocês?

Marcelo: Prejudicando está, não só nós, como todo mundo. Isso impacta no trabalho, temos uma equipe muito grande, são 28 pessoas, então, se a gente não canta, não fatura, se não fatura, não paga. Estamos fazendo as ‘lives’ da vida pra tentar sobreviver e ajudar os músicos. Esse vírus (SARS-CoV-2) atrapalhou muito não só a nossa, como a carreira de muitos outros.

Jornal Pires Rural: Quais as estratégias que vocês estão elaborando para compensar a falta de shows?

Marcelo: Não posso nem dizer estratégia, posso dizer que é uma forma de contornar essa falta de show. A nossa sobrevivência, hoje, está saindo das ‘lives’. Estamos saindo atrás de patrocínios, temos amigos que tem empresas, tem comércios, daí a gente pega um patrocínio para gente fazer as ‘lives’ e manter os músicos. Estamos vivendo de ‘lives’. Graças a Deus, fizemos várias e com tudo positivo, nada negativo. Cada dia que passa, acho que essas ‘lives’ virtuais vão aumentar e não vai acabar nunca mais, mesmo que volte os shows. Nós vamos ter que fazer umas três a quatro ‘lives’ (por ano), pro fã saber como está o trabalho do artista. Então, a ‘live’ não vai acabar mais. 

afilhado musical do José Rico
Marcelo, afilhado musical do José Rico

Jornal Pires Rural: Como você descreve a diferença em se apresentar para uma plateia ao vivo e uma plateia virtual?

Marcelo: É totalmente diferente se apresentar ao vivo, para uma plateia de dez, quinze, vinte mil pessoas e de se apresentar virtual. Justamente pelo calor, pela energia que a gente sente ao vivo. Virtualmente a gente tenta passar a mesma energia, principalmente eu que canto com o coração, eu canto com o olho fechando, sentindo a presença do fã, ao vivo, colado. É totalmente diferente, é uma outra emoção, 100% diferente do que estar virtual. Porque, fazer uma ‘live’ é a mesma coisa que gravar um programa de televisão. Nós gravamos muito, é estar na frente de câmeras, estamos passando a emoção para o público em casa mas, é muito diferente de estar ali, ao lado, colado, olhando seu fã, abraçando o fã. A emoção é totalmente diferente sem dúvida nenhuma.

Jornal Pires Rural: Tem uma agenda das apresentações virtuais, como vocês se adaptaram a esse modelo?

Marcelo: Elas acontecem conforme patrocínio. Estamos, na verdade, fazendo uma por mês no nosso canal (www.youtube.com/c/MarcosPauloeMarcelo/videos). Também tem as empresas que nos contratam, no mês de julho temos 5 apresentações, 5 ‘lives’, que é fora de nosso canal. Essa vai ser nossa agenda até voltar os shows.

Jornal Pires Rural: Em suas apresentações, além do repertório clássico de Milionário & José Rico, a dupla Marcos Paulo e Marcelo executa o repertório autoral, próprio, com canções inéditas. De que forma esse isolamento influenciou seu processo criativo?

Marcelo: Nós nunca, nunca, nunca vamos deixar de cantar os clássicos de Milionário & José Rico. Enquanto Deus nós der vida, Milionário & José Rico sempre vai ser o carro-chefe de nosso repertório. Aí tem algumas composições autorais minhas como “mesa de bar”, “conversa de boteco”,“dor de amor” então, a gente coloca aos poucos algumas composições inéditas de nosso repertório autoral, das músicas que mais tocaram, são 18 anos de carreira. De qualquer forma, o isolamento influenciou num processo de pensar mais, acho que criatividade nesse momento, eu não vejo nada de criativo pra gente na música. Eu não vejo criatividade nesse tempo, eu vejo pensamento. Eu penso muito, criar eu não estou criando nada, nem compondo estou porque a cabeça está a milhão para outras coisas, atrás de patrocínio, atrás disso, daquilo para podermos fazer as ‘lives’, então, não tem como criar nada nesse momento. A única coisa que temos que criar é correr atrás de patrocínio para fazer ‘live’ e pensar, é isso.

Jornal Pires Rural: Qual o número de pessoas da equipe que acompanha a dupla Marcos Paulo e Marcelo durante uma apresentação? Esse pessoal tem um compromisso de trabalho agendado desde o início do ano? Como fazem na transmissão virtual a remuneração cobrir as despesas?

Marcelo: Olha só, são 30 pessoas na equipe e trabalhamos de ano a ano. Tem músicos nossos que estão desde o início de nossa carreira. Nas transmissões de “lives’ pegamos patrocínios, procuramos levar toda a equipe, porque todo mundo precisa sobreviver e pagamos o cache integral, a dupla não fica com nada, pois, não queremos tirar deles, pelo contrário, fazemos alguns leilões, porque os músicos precisam muito, assim como a gente precisa.

'lives' virtuais vão aumentar
Marcelo: “Nós vamos ter que fazer umas três a quatro ‘lives’ (por ano), mesmo que volte os shows”

Jornal Pires Rural: Com essa pandemia o meio artístico foi impactado drasticamente, qual profissional você vê que foi o mais prejudicado?

Marcelo: Vemos que muitas empresas estão quebrando, mandando embora funcionários mas, acho que a área mais afetada foi a nossa, do meio artístico, do rodeio, que está no mesmo barco nosso. O pessoal que mexe com festas e eventos, sem dúvida alguma foi o mais prejudicado, porque fomos os primeiros a parar e não sabemos quando vamos voltar.

Jornal Pires Rural: Para a dupla Marcos Paulo e Marcelo, o que é mais importante nesse momento de pandemia e quarentena que estamos vivendo? Qual a mensagem vocês enviam aos seus fãs?

Marcelo: Eu digo pela dupla Marcos Paulo e Marcelo que a gente espera que tudo volte ao normal, que encontrem uma vacina, que parem um pouco de fazer jogo político e pensem mais em nossa nação. Acho que eles tinham que correr mais atrás de saúde, falar a verdade para o povo e acho que não é momento pra brigar com ninguém, não é momento pra discutir jogo político e sim o momento pra passar a verdade e transparência para o povo brasileiro que é um povo trabalhador, povo suado, é um povo teimoso mas, um povo que espera e faz o que mandam. 

A mensagem que eu quero passar em nome de Marcos Paulo e Marcelo é pra ter fé. Ter fé em Deus, pedir para os nossos governantes, da melhor maneira, achem uma solução e que essa solução seja a vacina. Em breve estaremos no palco novamente, em nome de Jesus, “tamo junto”, um abraço a todos!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *