Jornal Pires Rural – Edição 241 | LIMEIRA, Maio de 2020 | Ano XV

O Bairro dos Pires tem 10 km de extensão, desde seu inicio na rodovia Anhanguera, e logo nesse primeiro quilometro a Telesp implantou um armário onde centraliza as linhas telefônicas, disponibilizadas para o bairro. Com o tempo a Telesp foi vendida para Telefônica e depois foi incorporada pela empresa Vivo. Desde a implantação da caixa metálica, por volta da década de 80, segundo informações dos moradores, pouco foram as ampliações de linhas. Tendo uma pequena expansão de linhas após 2008, época que também a telefonia celular veio ganhando maior abrangência e mais usuários, com as diversas opções de operadoras.

Recentemente o Jornal Pires Rural foi consultado, sobre questionamento de moradores à empresa Vivo, sobre como a empresa avalia os serviços que presta aos moradores do Bairro dos Pires. Um desses moradores é Willian de Paula Carvalho, que tem um comércio de materiais de construção a menos de um kilómetro de distância dessa caixa metálica. Willian trouxe o seguinte questionamento; “tenho conversado com os técnicos que fazem a manutenção da caixa telefônica, porque tenho a necessidade de ter acesso a rede de internet fibra ótica e eles me dizem que aquela caixa da Vivo, não tem mais condições de tão cheia que está. E as linhas telefônicas que tenho, vira e mexe ficam mudas. Aí, é realizada a manutenção, voltam a funcionar mas, são meus vizinhos que reclamam que estão sem telefone. Então, todas às vezes que eles mexem numa linha lá (na caixa metálica), estragam as outras. Tem outros moradores que comentam comigo ‘toda vez que vejo um carrinho mexendo lá, pode crer que o telefone vai parar de funcionar”.

Outro morador, também dono de um comércio no ramo alimentício no bairro, Elias Staiguer, disse “quanto a esses os problemas, temos sim, são iguais. Não é muito frequente. A opção aqui, é a maior utilização de telefone móvel”, acrescentou.

Armário

Em nota

Entramos em contato com a empresa Vivo, através de sua assessoria de imprensa, para que pudesse responder aos fatos e aos apontamentos feito pelos moradores e comerciantes sobre o armário que abriga a estação de rede telefônica dos assinantes/clientes da empresa, localizada na via Martin Lutero, cerca de 600 metros da margem da rodovia Anhanguera, km 146, sentido capital-interior, um dos trechos mais habitados do eixo entre as rodovias Anhanguera-Bandeirantes, responsável pela geração da riqueza paulista em torno de 15,7% do PIB estadual, segundo Fundação Seade 2002-2014. 

As perguntas transmitidas, em nome dos moradores foram: É fato que essa “caixa” está no seu limite de linhas? Quando haverá uma ampliação para atender a demanda do bairro dos Pires, que vem crescendo, em termos de moradores e comércios, sobretudo agora, com a aprovação de regularização dos loteamentos por parte do Poder Público de Limeira e, no atual momento a pandemia provocada pelo novo coronavírus, muitos proprietários estão em suas chácaras, mesmo as de lazer, no momento utilizadas como morada pois, muitos são no grupo de risco? 

A empresa se pronunciou com a seguinte nota: “A Vivo informa que não há irregularidades no armário mencionado pela reportagem. A empresa ressalta que realiza manutenções periódicas para garantir a melhor conexão aos usuários. A região mencionada é 100% atendida pela rede de banda larga da Vivo e possui serviço disponível para contratação. Os interessados devem contatar nossa central de atendimento pelo telefone 103 15 ou através do nosso site www.vivo.com.br, além dos canais oficiais no Facebook e Twitter. A Vivo avalia constantemente a possibilidade de ampliações de sua rede para oferecer o melhor serviço a seus clientes em todo o país, considerando a demanda e critérios técnicos para expansão de seu atendimento. No futuro, a região poderá receber investimentos para implantação de fibra ótica da empresa”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *