Jornal Pires Rural – Edição 240 | LIMEIRA, Maio de 2020 | Ano XV

A Prefeitura de Limeira realizou coletiva de imprensa on-line, transmitida “ao vivo” pela página oficial no Facebook e de antemão recebeu perguntas especificamente relacionadas ao novo coronavírus (COVID-19). O jornal Pires Rural teve a participação registrada em 3 perguntas respondidas pelo secretário de Saúde, Vitor Santos e pelo diretor de Vigilância em Saúde, Alexandre Ferrari. 

Eles esclareceram que foram aplicados testes rápidos em 300 profissionais que trabalham em asilos de Limeira, estão monitorando 19 instituições, quanto a aplicação das medidas de prevenção. Revelaram que no mês de Junho irão fazer 12 mil teste em limeirenses e frisaram a importância cada vez maior em detectar precocemente a enfermidade, começar tratá-la entre o primeiro e sétimo dia dos sintomas, para evitar complicações graves e a permanência do paciente internado numa U.T.I. entre 2 a 3 semanas.

Asilos

O nosso primeiro questionamento foi esclarecer com a Secretaria de Saúde de Limeira, a disponibilização de testes sorológicos para os profissionais que atuam nas casas de repousos, lar de idosos existente na cidade. Perguntamos se houve a constatação de anticorpos para o novo coronavírus nas amostras de algum desses profissionais? 

O secretário de Saúde, Vitor Santos respondeu: “Essa é uma pergunta muito importante, faz parte de nossas preocupações o acompanhamento do idosos que estão asilados. Já estamos trabalhando, há algumas semana, quais são os asilos, quantos pessoas tem internadas, quantos trabalhadores transitam nesses asilos, para que possamos ter um controle maior. A primeira providência foi fazer um levantamento do número de idosos internados e dos profissionais. Já começamos a testar esse profissionais, foram avaliados cerca de 300 pessoas e todos eles, através de testes rápidos, deram negativo, ou seja, nesse momento em que a gente “fotógrafa” essa pesquisa, vamos ver que nenhum deles estão contaminados. Nos próximos dias, será a vez de os idosos para ver se algum deles, em algum momento, teve contato com a doença e evoluiu de forma benigna. A ideia é avaliar semanalmente os profissionais e, principalmente exortando os asilos para que tomem as medidas de prevenção, sugerindo aos profissionais, ao chegar para trabalhar, seja medida a febre e insistir nos cuidados para que ele possa trabalhar de máscara, fazer sua higiene, estamos muito preocupados pois, especialmente no caso de Piracicaba, um grande número de mortes ocorreu em função de pacientes que estavam nos asilos. Agora, a prefeitura tem um trabalho que ela pode fazer, que é aplicar os teste, avaliar se as pessoas estão usando máscara ou não mas, cabe a gestão de cada uma dessas unidades, reforçar as recomendações que a Secretaria de Saúde através da Vigilância em Saúde. Chegou para trabalhar, tem sintomas, não entra no trabalho, informa a Secretaria de Saúde que vamos testar essas pessoas”, declarou Dr. Vitor.  

Alexandre Ferrari diretor de Vigilância em Saúde de Limeira, complementou a resposta, “a Vigilância Sanitária está desenvolvendo um trabalho permanente de fiscalização nesses asilos, envolvendo desde a orientação quanto a saúde dos cuidadores profissionais, que trabalham nessas instituições de asilos, em orientação quanto ao uso de E.P.I. Temos 19 instituições cadastradas, todas estão sendo fiscalizadas diariamente, incluindo a constatação referente a saúde dos idosos”, Ferrari acrescentou.

Pessoas contaminadas

Outra pergunta feito pelo Jornal Pires Rural durante a coletiva foi saber como a Secretaria de Saúde se posiciona sobre a chamada “imunidade de grupo”, ou “efeito rebanho”, que seria capaz de impedir naturalmente novas ondas de contágio?

Dr. Vitor esclareceu, “com relação a essa imunidade de rebanho que se comenta muito, é um momento em que temos um volume grande de pessoas contaminadas, assintomáticas, pessoas que não manifestaram os sintomas e, isso dificulta a transmissão do vírus, porque quando esse vírus vai contaminar uma pessoa ela já tem imunidade, o vírus não acaba-se replicando com uma velocidade quando essa imunidade não existe. Para que a gente possa ter uma diminuição da velocidade de contágio é preciso que tenhamos pelo menos, mais de 50% da população tendo contato com o vírus, com sintomas ou não, e adquirida a imunidade, que é a formação da imunoglobulina G, que é o anticorpo que protege a pessoa para uma eventual infecção por esse vírus. Então, nós ainda estamos muito longe desse fato pois, a nossa curva ainda está subindo. Mas, lá em junho, nós estaremos fazendo uma pesquisa no município, vamos testar cerca de 9 a 12 mil limeirenses, para avaliar como está essa disseminação, especialmente nos pacientes que tiveram contato com o vírus e que foram assintomáticos mas, já são pessoas que adquiriram a imunidade”, afirmou o secretário.

Internações

A terceira pergunta elaborado pelo Jornal Pires Rural e respondida durante a coletiva, se a Secretaria de Saúde de Limeira, tem uma estimativa de quanto tempo é o período de internação de um paciente de COVID-19 (em média)? O secretário Dr. Vitor respondeu, “vai depender da condição clínica desse paciente. Quando eu interno um paciente no começo da enfermidade e, tenho condição de tratá-lo com mínimo de lesão pulmonar e cardiocirculatório, em geral esse paciente vai ficar entre 5 a 12 dias internado. Quando existe um paciente com comorbidades, tendo um pulmão bastante comprometido, estamos falando em 2 a 3 semanas de paciente na U.T.I. Por isso a importância cada vez maior em detectar precocemente a enfermidade, começar tratá-la entre o primeiro e sétimo dia (de sintomas), para evitar as consequências da permanência do vírus no organismo possam se transformar em complicações graves”, ele frisou.

O diretor de Vigilância, Alexandre Ferrari, acrescentou a informação sobre as unidades de referência para casos sintomáticos leves, “isso é muito importante, que foi constituído pelo município, tendo o funcionamento das 8hs da manhã à 20hs. Então, quem apresentar sintomas leves, como febre até 37.8º, tosse, coriza, dor de garganta, dor no corpo, procure nossas unidades: UBS Nova Europa, UBS Morro Azul, UBS Novo Horizonte ou UBS Boa Vista. São unidades com pessoal treinado para atender sintomáticos respiratórios leves”, informou.  

Boletim de 21/05/2020

Novos casos

Durante a entrevista, também foram abordadas questões como o crescimento da curva de novos casos da doença no município. Atualmente, há 107 ocorrências confirmadas – no dia anterior eram 98. Vitor Santos disse que esse número deve aumentar progressivamente, porém em ritmo inferior ao verificado em algumas capitais, como São Paulo e Rio de Janeiro, locais com alta densidade demográfica.  “Há crescimento da curva conforme o esperado, porém esse aumento não tem se demonstrado abrupto”, afirmou.

Ainda sobre a questão, o diretor de Vigilância em Saúde avaliou o ritmo de crescimento de novos casos. “Nossa (curva) de ascendência não apresenta nível tão acelerado quanto o Brasil”, disse. Em Limeira, ele esclareceu que o número de casos tem dobrado em intervalos maiores de dez dias. Enquanto no restante do País, de três a quatro dias. “Isso nos dá segurança e é exatamente esse o objetivo do nosso trabalho, desacelerar a positivação e mantê-la sob controle”, ressaltou.

Ao final da coletiva, Vitor Santos agradeceu ao suporte que o prefeito Mario Botion vem proporcionando à Secretaria de Saúde no enfrentamento ao coronavírus, e ainda, à equipe técnica dos hospitais pelo esforço e dedicação ao enfrentamento da doença. O secretário pediu, mais uma vez, que as pessoas “fiquem em casa”, sobretudo os idosos – público de maior risco ao Covid-19.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *