As cartas esperando seu dono

No Quiosque do Pedrão é o local onde os moradores do bairro dos Pires podem solicitar o envio de suas correspondências despachadas pelos Correios. Entretanto, muitos moradores que fizeram uso do endereço do estabelecimento comercial, não estão retirando suas cartas do local. Fomos verificar essa situação e conversamos com o Pedrão da barraca, responsável por receber e armazenar as cartas. Já faz um ano que ele disponibilizou seu estabelecimento, na via Martim Lutero para que as correspondências chegassem até os moradores, comércios e industrias que aqui se encontram, é a população do bairro dos Pires inclusa em mais um serviço social, para beneficiar a comunidade, o lugar para buscar as suas correspondências é no Quiosque do Pedrão.

Pedrão: há um ano disponibilizou seu estabelecimento para receber as cartas
Pedrão: há um ano disponibilizou seu estabelecimento para receber as cartas

Conversando com Pedrão, ao responder se estão, de fato, chegando as cartas com endereço dos Pires, ele afirma, “o que mais chega aqui é carta! Vem mais carta do que gente! O Correio vem três vezes por semana. Eu não vou avisar mais ninguém, vou deixar quieto. Quem quiser pegar que pegue, esse povo não tá nem aí. A gente ajeita mas o pessoal não vem buscar. ‘Cê tá doido, depois fica essa montoeira, vou te mostrar ali. O cara quer que eu vou levar lá na casa dele?”, desabafa. 

Segundo ele, prometeram trazer uma caixa para deixar mais organizado as correspondências, hoje elas se acumulam, aleatoriamente, em uma pasta plástica, que mal está suportando a quantidade. Para saber se tínhamos recebido alguma correspondência dos Correios, tivemos acesso a todas as cartas e, os destinatários são moradores do bairro, desde os mais conhecidos como os funcionários públicos das escolas até as empresas do ramo de transporte, pavimentação, paletes, cimento, papelão, termoplásticos, agropecuária e biscoitos, além, é claro, dos diversos condomínios do bairro. Os remetentes são bancos, funerárias, empresas de telefonia e muitos carnês de IPTU da prefeitura de Limeira. “Será que o povo não sabe que essas cartas estão aqui?”, pergunta ele. 

As cartas esperando seu dono
As cartas esperando seu dono

O maior volume de correspondências são revistas de uma cooperativa agrícola das proximidades, “o Correio falou que é aqui que tem que deixar. Olha aí, não tem como trabalhar com (esse volume) disso aí”, questiona. As revistas chegam aos montes todas as semanas e, disputam espaços nas prateleiras com as frutas que são vendidas no ponto comercial. “Quando não vem carta, a moto traz um pacote dessa revistas. A turma chega e pede pra mim dar uma delas, eu falo: é seu nome que está aí em cima? Não?! Então, larga aí. Não posso fazer isso, não. O duro que aqui é lugar de poeira, onde eu vou pôr? Não tem nem lugar pra por mais”, ele diz. 

Pedrão explica que se soubesse que ninguém iria vir buscar as cartas ele não teria disponibilizado seu comércio para servir ao bairro, “se é agora, pra fazer isso, eu não pego mais. Por isso a turma não quis aí pra baixo”, acrescentou. Po Douro lado ele relata,”tem bastante gente que vem buscar as cartas. Ôh se tem! Tem gente que chega aí, atrás da carta e a carta não chegou, isso que da dó”, lamenta.

Quanto a espalhar o recado para as pessoas retirar as correspondências, Pedrão disse, “um colega nosso fez uma chamada para o povo vir buscar, os caras nem ligaram. Ele fez um vídeo mas, não virou nada. Acho que querem que eu leve de casa em casa, entregar para eles. Você ajuda e ninguém entende. Eles não vem buscar eu não posso fazer nada. Eu não vou ficar ligando para o povo vir buscar, eles sabem que aqui é o lugar das cartas. O que eu pude fazer eu fiz. Se eu fosse vereador ia entregando de chácara em chácara”, brincou.

E agora, se não vierem buscar, o que pretende fazer? “Mando o Correio levar embora, de volta. Semana que vem, quando o Correio vier aqui, vou mandar levar tudo embora”, ameaçou. Pedrão disse que não veio nenhuma correspondência para ele, mas quer receber as contas da Elektro, não só ele, outros moradores já solicitaram. De acordo com Pedrão, a informação que os moradores receberam da Elektro foi que “primeiro o rapaz onde está pegando as cartas, precisar fazer a papelada pra conta dele chegar lá para depois as suas ir”, assim ele descreveu e emendou “eu vou, depois vai chegar um “montueiro” de carta que dá medo. Então, deixa a minha onde tá quietinho, vai certinho lá no Jardim Nova Europa, passo pegar todo mês”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *