Associação Vital Bull

Jornal Pires Rural – Edição 240 | LIMEIRA, Maio de 2020 | Ano XV

A Prefeitura de Limeira, por meio da Secretaria de Urbanismo, concluiu o processo de regularização dos oito primeiros condomínios (ou núcleos) de chácaras de recreio do município. As certidões de regularização fundiária começaram a ser entregues pelo prefeito Mario Botion. O ato terá uma sequência de eventos iniciados em 14 de maio e terão prosseguimento ao longo do mês, quando as certidões dos oito primeiros condomínios regularizados serão destinadas aos proprietários. Segundo a Secretaria de Urbanismo, Limeira tem 362 condomínios (ou núcleos) que, agora estão sendo passíveis de regularização, Mario Botion definiu “hoje é um momento histórico. Trabalhamos com essa questão ao longo de todo o nosso governo e desde o ano passado, os processos de regularização começaram a tramitar no Urbanismo”. 

Prefeito Mario Botion, Cleiton Bull e Valdomiro Vital
Prefeito Mario Botion, Cleiton Bull e Valdomiro Vital

Um desses condomínios é a Associação Vital Bull, localizado no bairro dos Pires de baixo. Conversamos com Cleiton Roberto Bull, 33 anos, analista de compras, presidente da Associação Vital Bull. Seu condomínio recebeu a certidão de regularização das mãos do prefeito no dia 18, Cleiton relata sobre esse encontro; “um momento de bastante alegria, nos trouxe um sentimento de vitória e de conquista. Através da lei complementar (legislação municipal, aprovada em 2018 pela Câmara Municipal, que trata da questão fundiária, lei 813, de junho de 2018) aprovada pelo prefeito sr Mario Botion, hoje, tivemos um marco para nossa Associação pois, a partir de hoje todos os associados tem a real posse do seu lotes, casas. Sendo filho de um dos herdeiros da primeira família que veio morar aqui, é muito gratificante essa conquista, ela nos traz um grande compromisso, seguir todas as etapas seguintes e projetos aprovados”, descreveu Cleiton para o Jornal Pires Rural.

De acordo com o presidente da Associação Vital Bull, o núcleo tem “uns 16 anos aproximadamente, com 27 lotes, desses, 16 com moradores”. O processo teve início em agosto de 2009 quando receberam uma notificação de “loteamento irregular de solo, por parte da prefeitura, foi o que nos fez iniciar um processo de evidenciar para prefeitura que não éramos um loteamento, mas tratava-se de herança e os herdeiros estavam construindo, mas, isso ainda poderia nos trazer problemas futuros. Então, em fevereiro de 2015, minha tia, Carolina Bull Schnoor, deu abertura no processo de regularização na Prefeitura”, relembra.

Ao perguntamos o quanto seus familiares estavam esperançosos por esse dia, ele destacou; “nós, associados, sempre mantivemos a certeza de que por mais tempo que pudesse levar, isso um dia aconteceria. Tivemos impasses mas, sempre houve um bom entendimento por parte de todos os envolvidos, uma vez que o intuito era em comum a regularização dos terrenos. Não medimos esforços para chegar até aqui, e ainda não mediremos para concluir o termo que temos de compromisso entre nós com a Prefeitura”. Cleiton frisou que os próximos passos envolve ‘registro em cartório da ‘Certidão de Regularização’, o que individualiza os lotes, permitindo assim o registro individual de cada proprietário. E, também a execução de todos os projetos complementares para a regularização, como adequação do caminho, fossas sépticas, rede de energia elétrica, água, GAP e sinalização da via de acesso”.

Cleiton afirmou que seus familiares estão “se sentindo vitoriosos, cientes de que é uma grande conquista de todos para todos”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *