Entrevista com Alexandre Moreira de Souza, Diretor de Desenvolvimento Rural Sustentável do município de Socorro (SP), desde 2021; Biólogo, pós-graduado em agronomia, extensionista rural desde 2011 na Secretaria de Agricultura do estado de São Paulo, Cati.

O município de Socorro está localizado no Circuito das Águas Paulistas, na Serra da Mantiqueira. A economia predominante é a agricultura familiar, diversificada e organizada pelo associativismo. O que chama a atenção nesta economia, em particular, é o dinamismo com que as políticas públicas são implementadas com infraestrutura, estradas e coleta de resíduos domésticos e recicláveis em toda a extensão rural.  

Espaço do Produtor Rural – Engenheiro Agrônomo Joaquim Gilberto Vieira

JPR: Apresente a agricultura familiar do município de Socorro em escala, produtividade e agregação de valor.

Alexandre de Souza: A agricultura familiar é bem forte em Socorro, é a atividade predominante. Das propriedades que a gente tem aqui, 85% ou até mais, são de agricultores familiares; ela tem um valor expressivo, contribui muito com a questão econômica do município e com a produção de alimentos e geração de renda.  

JPR: Os agricultores(as) familiares estão organizados em associações e cooperativas? Cite os nomes das associações e suas realizações no município.

Alexandre de Souza: Os agricultores estão organizados em associações. Não temos cooperativas. Mas, associações nós temos algumas e elas são atuantes. Temos a Associação da Microbacia do Jaboticabal, Associação dos Produtores do Bairro da Chave, Associação do Ribeirão dos Cubas, Associação de Produtores Organo Agrícolas do Ribeirão do Meio, Associação de Produtores do Bairro dos Machados. Também temos uma associação regional de cafeicultores, Associação de Cafés Especiais (ACAS), na qual Socorro está bem representada com muitos produtores. O associativismo aqui é forte. 

JPR: Quais políticas públicas e programas municipal, estadual, federal a agricultura familiar do município está inserida?

Alexandre de Souza: Temos políticas públicas do estado e do município, principalmente voltada à merenda escolar (PNAE). Temos o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), pelo estado e, no ano passado, nós aprovamos a lei e temos agora o PAA Municipal. Essas são as políticas públicas oferecidas aos produtores para fornecer os seus produtos. 

JPR: A produção de alimentos no município é diversificada? Relate a importância tanto para o produtor quanto para o consumidor.

Alexandre de Souza: A produção é bem diversificada. Temos hortifruti, frutas, grãos (a soja tem tido uma expressividade aqui). É muito grande a diversidade. É importante, temos por conta disso quatro feiras. As Feiras Livres que acontecem na quarta-feria, no período noturno e é muito frequentada; temos Feira aos domingos e na sexta-feira, e a Feira Orgânica aos sábados com produtores de alimentos orgânicos certificados. 

JPR: A sucessão familiar está acontecendo na agricultura do município? De que forma o Departamento de Agricultura acompanha, e estimula a permanência dos jovens na produção agrícola familiar? 

Alexandre de Souza: A sucessão familiar está acontecendo. Na minha opinião está melhorando de uns anos pra cá. Como eu disse pra você, eu estou na extensão desde 2011, eu acredito que, de uns cinco, seis anos pra cá, a questão da sucessão e do êxodo rural diminuiu um pouco. Porque os jovens estão percebendo que está valendo mais a pena ficar na propriedade e gerar renda ali do que vir pra cidade para trabalhar com um salário menor, ter todo aquele transtorno de estar vindo faça chuva ou faça sol, cumprindo horários. Então, eles estão tendo essa visão diferente. 

Nós temos um departamento com acompanhamento dos jovens. Temos um grupo de jovens produtores que a gente acompanha e trabalha, que estão trabalhando na atividade, independe de ser filho de produtor mas, que estão tomando a dianteira disso. 

JPR: Visto que o município está sob uma nova gestão, quais foram as demandas dos agricultores(as) no ano eleitoral de 2020? A atual administração está atendendo quais demandas? 

Alexandre de Souza: A gente tem procurado atender, pois, temos um Departamento já consolidado através de um corpo técnico que oferece assistência técnica e orientações em diversas questões ao produtor. Temos a Patrulha Agrícola com equipamentos, tratores e implementos que fornecemos aos produtores como uma forma subsidiada com preço bem menor do praticado no mercado. Nós temos câmaras frias fornecidas para o armazenamento de alimentos que os produtores podem deixar os alimentos armazenados num curto período de tempo para fazer uma negociação ou algo nesse sentido. Temos o espaço para as reuniões de conselhos, enfim, temos uma infraestrutura. E, a gente apoia em tudo o que é preciso quando solicitado como a questão de análise de solo, o Cadastro Ambiental Rural (CAR); a entrega de notas de vacinas; a emissão de Guia de Trânsito Animal (GTA). Eu acredito que é um Departamento bem estruturado em vista de outros municípios que a gente conhece, sempre há o que ser feito e melhorar, mas é bem estruturado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.