Lutero Schnoor, agricultor familiar
Jornal Pires Rural – Edição 227 | LIMEIRA, Abril de 2019 | Ano XIII

O Jornal Pires Rural, além do meio impresso, está fazendo uso das redes sociais como uma ferramenta de comunicação a serviço de nosso público leitor. Iniciamos pelo canal do YouTube Rural VídeosBr, criado em 2009, novas postagens de nossas reportagens a partir de agora. Utilizamos a formula como as redes sociais se tornaram; uma ferramenta de comunicação de massa, como a TV, o cinema, o rádio e os jornais impressos. É um caminho sem volta, quem está na chuva é pra se molhar. 

Todo domingo, o Programa Rural VideosBR tem um novo episódio no ar, é só acessar: https://youtu.be/xTgZMZZTAWQ – Você verá, entre outros vídeos, a nossa visita a Lutero Schnoor, agricultor familiar, que garante seu sustento com a produção de seu sítio, usando sua criatividade e inteligência para transpor as montanhas que aparecem diariamente na vida do agricultor. O produtor é testado em todas as ciências e Lutero mostrou isso quando falou sobre temas como irrigação, manejo da lavoura, controle de praga, adubação, colheita, logística, mercado consumidor e financeiro para produzir goiabas, apenas goiabas? Leia a seguir; 

Lutero Schnoor, agricultor familiar
Lutero Schnoor, agricultor familiar, que garante seu sustento com a produção de seu sítio, usando sua criatividade e inteligência para transpor as montanhas que aparecem diariamente na vida do agricultor.

Foi na última sexta-feira de março que Lutero nos recebeu em sua propriedade, estava trabalhando na estufa de mudas cítricas que também produz. Logo quando chegamos parei à frente de um pé de caqui carregado, logo fui informado que não era pra venda e nem pro gasto, os caquis eram para os pássaros. Ao invés de dar água na boca, tomei um banho de água fria. Esquecendo esse assunto, vamos falar sobre goiabas. Lutero revela, “é um mercado novo pra nós, aqui em Limeira. Está sendo um aprendizado, todos os dias aprendemos um pouco mais sobre a produção, não estamos prontos. Mas a vantagem é que você trabalha, aprende e colhe resultados. Tudo vale a pena”. 

Na época da reportagem, era fim de safra como ele comenta; “não tem muita produção por aqui mas, o mercado da fruta não tem tanta demanda com consumo excessivo, por isso não podemos investir muito, porque pode haver um excesso de safra. Estamos na terceira safra, desse plantio, colhendo frutas. Agora, é a hora de cuidar muito bem das plantas antes de aumentar a área plantada. O mercado é bom? É. Mas, não é um mercado garantido ainda”, completou. 

Lutero nos explica que finalizando a colheita é executado a poda drástica em cada planta. Limpa-se a planta por completo, principalmente os galhos que estão no meio, impedindo a passagem de luz pois, em trinta dias inicia a brotação das folhas novamente. Durante a brotação, é importante a observação e controle de pragas, para evitar possíveis doenças no desenvolvimento das frutas. “Aparecem percevejos que comem as folhas, aparecem ataques de ácaros, de psilídeo”, observa.

Ele conta que na poda dos galhos, eles vão ficando no chão, em volta do pé, para ir fazendo uma espécie de forragem. “Eu não passo herbicida, para limpar o mato, mantenho as ruas limpas com a roçadeira e depois jogamos o material orgânico para decompor debaixo dos pés”, ensina.

Lutero comenta que o momento de maior atenção é na florada; “uma época bastante crítica, o percevejo pode comer as flores e, depois que o fruto estiver granado, você vê o prejuízo que ele causou na florada. O pé de goiaba atinge até 80 kg de frutas, só que o problema da goiabeira é que tem que se dedicar como uma criança, ela precisa de cuidados desde a hora da poda, o crescimento do fruto, você tem que estar quase todos os dias trabalhando nela, porque você vai ver o prejuízo lá na frente, as frutas perdem valor de mercado. Acontece na brotação da florada, as doenças causam lesões nas frutas e será descartada. A mosca da fruta se pegar na época de maturação (pré-colheita) da fruta – quebra a safra. Por isso, que os cuidados se comparam aos cuidados de uma criança. Por que o prejuízo você verá lá na frente”, ele compara.

A irrigação é outro ponto na questão do crescimento do pé e da fruta, segundo Lutero a goiabeira necessita de muita água – um dos principais fatores., “A irrigação demanda 50 litros de água por dia. É necessário manter a forragem por cima do solo, um solo drenado, rico em fósforo, manter o solo úmido. A outra parte dos cuidados é cuidar dos frutos em crescimento”, diz.

Sobre a colheita ele diz que dura em média 30 dias. É realizada na parte da tarde para ser entregue na manhã do dia seguinte. “A vantagem da goiabeira é que você aproveita quase toda a safra sabendo colher a fruta na hora certa, é um detalhe importante”, revela. 

Resumindo, Lutero destaca; “os cuidados com a área plantada inclui limpeza das copas das plantas, porque ela não pode mais crescer tanto pra cima, pra quando for fazer a colheita não precisar de escadas pra não ferir o fruto. Não é vantagem ter grande produção e pouca qualidade. Vai se aprendendo diariamente”, finaliza. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *