o empresário Leocir Berbet
Jornal Pires Rural – Edição 226 | LIMEIRA, Março de 2019 | Ano XIII

O empresário Leocir Berbet entrou em contato com o Jornal Pires Rural para nos mostrar algo inusitado em nossa região: uma moranga gigante boliviana. A Cucurbitaceae veio da Bolívia, depois que sua filha Susi, enviou-lhe uma foto daquelas típicas feiras de rua. Chamou a atenção de sr. Leocir o tamanho da abóbora moranga e, pediu à filha que lhe trouxesse. Chegando por aqui em dezembro, ele conta que pagou cerca de R$40,00 da fruta, desde então, ficou exposta em um comércio para chamar a atenção de clientes. “Eu não sei quanto pesa, só sei que uma pessoa sozinha não consegue carregá-la. Estou querendo fazer um doce com essa moranga, não sei se ela é boa de comer mas, eles vendem na feira lá”, ele disse, contente com a novidade. Percebendo que já estava mais do que na hora de partir a moranga em pedaços, sr. Leocir fez questão de chamar nossa reportagem para acompanhar o acontecimento. Você pode acompanhar essa matéria na estreia do Programa Rural Vídeos, episódio 01, em nosso canal no YouTube (Rural Videosbr), pelo endereço: https://youtu.be/oaFD2zXAi1I

o empresário Leocir Berbet
Chamou a atenção do empresário Leocir Berbet o tamanho da abóbora moranga e, pediu à filha que lhe trouxesse da Bolívia

Partindo em pedaços

Infelizmente, na hora em que partiu já estava um pouco passada a moranga. Podemos perceber que o fruto tinha uma cor amarela suave, oco em seu interior, com uma poupa fibrosa e muitas sementes grandes. Um pouco desapontado, sr. Leocir falou que já fazia mais de dois meses que a moranga tinha chego em Limeira, “eu fiquei decepcionado. Pensei que fosse parecida com as abóboras de pescoço, com bastante massa. Ela é bem oca, não sei se é assim ou se ficou com passar do tempo. Vou tentar cortar um pedaço pra ver se dá pra um doce mas, olha ela é bem fibrosa, parece coisa de animal comer. Pelo menos tem bastante semente, serve pra quem gosta de comer semente de abóbora torrada. Ela inteira é muito bonita mas, agora do jeito que ficou deteriorada, está feia”. Os frutos de uma abóbora podem ser mantidos por cerca de três meses, após a colheita, para uso. Contando mais o tempo de plantio e colheita, no máximo 150 dias, provavelmente a moranga já estaria com uns 5 meses. Ele chegou a comentar que a filha também lhe trouxe algumas sementes de moranga, “eu plantei, nasceu, mas na hora que começou ‘ramar’, começou amarelar e está morrendo, vi que tem um bichinho comendo a folha dela e desconfio que tem outro na raiz. Meu caseiro também plantou e está desenvolvendo bem, vou torcer pra não acontecer o mesmo”, revelou.

A maioria das abóboras são espécies herbáceas
A maioria das abóboras são espécies herbáceas que crescem por metros de comprimento e têm gavinhas

Características 

A Cucurbita é um gênero de videira herbácea da família das Cucurbitaceae, é nativa dos Andes e Mesoamérica. Cinco espécies são cultivadas em todo o mundo. A maioria das abóboras são espécies herbáceas que crescem por metros de comprimento e têm gavinhas. As flores amarelas ou laranja em uma planta Cucurbita são de dois tipos: feminino e masculino. As flores femininas produzem a fruta e as flores masculinas produzem pólen. Muitas espécies da América do Norte e Central são visitadas por polinizadores especializados como as abelhas, mas outros insetos, com hábitos alimentares mais gerais, também visitam.

Há um debate sobre a taxonomia do gênero, sendo que o número de espécies aceitas, varia entre 13 a 30. As cinco espécies domesticadas são Cucurbita argyrosperma, C. ficifolia, C. maxima, C. moschata e C. pepo. Tudo isso pode ser tratado como abóbora, porque os frutos maduros podem ser armazenados por meses; no entanto, a espécie C. pepo inclui algumas cultivares que são melhores usadas apenas como abobrinha.

As abóboras são boas fontes de nutrientes, como vitamina A e vitamina C, entre outros nutrientes de acordo com as espécies. As frutas têm muitos usos culinários, incluindo torta de abóbora, biscoitos, pão, sobremesas, pudins, bebidas e sopas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *